top of page

Prefeitura de Mâncio Lima busca recursos para construção de uma indústria de lacticínio


O Município de Mâncio Lima segue avançando na diversificação e fortalecimento da agricultura familiar. Na manhã da última terça-feira, 26, o Prefeito Isaac acompanhado da Secretaria Municipal de Produção, Alana Souza e do Secretário de Articulação Institucional, Danilo Chagas, recebeu em seu gabinete a visita do Professor Luiz Farinatti, Doutor em zootecnia, nutrição e forragicultura, para dar início a elaboração do projeto de construção de uma indústria de laticínios. Com o aumento da demanda na atividade leiteira, faz-se necessário a aquisição de equipamentos para a implantação do laticínio no município, que hoje não dispõe desses.


“Mâncio Lima é uma cidade essencialmente agrícola, tendo a pecuária como uma das economias que move a cidade com o gado de corte, mas com um potencial muito grande para a bacia leiteira. Falo com propriedade, porque antes de ser gestor nesta cidade trabalhei com leite e com queijo, obtendo um ótimo lucro. Desde que assumi, tenho este projeto em mente de reativar e fortalecer esta atividade, temos muitos produtores que só precisam de um incentivo e, é isso que vamos fazer, vamos construir um complexo industrial para cana de açúcar, secagem e descascador de café e com o leite pasteurizado e seus derivados”, disse Isaac Lima, Prefeito de Mâncio Lima.

O projeto visa sanar problemas com a falta de apoio ao pequeno e médio produtor, haja vista, que no município a produção de leite é uma atividade importante na agricultura familiar. O fomento poderá gerar empregos diretos e indiretos em produções maiores, tornando a atividade leiteira viável na região do Vale do Juruá. Duas experiências exitosas de laticínio foram visitadas pelo prefeito, uma em Acrelândia e no Município de Palma Sola, Santa Catarina.

“O Município de Mâncio Lima tem um potencial muito grande para a produção de leite, as terras são férteis, áridas e planas, os pecuaristas sabem e tem interesse de trabalho neste ramo e, mais ainda, tem uma gestão empenhada em construir um espaço para o processamento do produto o que significa um avanço muito grande. É um produto saudável, com alto valor nutricional e produzido sem a adição de componentes químicos”, ressaltou Professor Farinatti.

A instalação da agroindústria beneficiará mais de 20 produtores familiares, que serão atendidos nas vilas e ramais localizados nos arredores do complexo industrial, visto que, o leite in natura tem um prazo para chegar até o laticínio, onde será processado. O projeto prevê a construção de uma agroindústria, com duas unidades laboratoriais, uma de microbiologia e outra de análise químico-física, equipamentos para o leite pasteurizado e derivados, com capacidade para um mil litros dia, podendo ser ampliado para cinco mil litros em dois anos. Indiretamente serão beneficiados aproximadamente 150 produtores.

Imagem ilustrativa

A área para a instalação do complexo industrial fica na Comunidade dos Normandos, ali, já foi construído um engenho que, tão logo o processo de compra dos equipamentos seja concluído, já começar a funcionar. O passo seguinte é a elaboração do projeto e a busca de recursos junto aos Ministérios da Agricultura e da Integração Regional, para a construção do laticínio. Para o café, o município já adquiriu as máquinas para secagem e descasca e, já está finalizada a licitação para construção do armazém.

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário
bottom of page