top of page

Agricultura Familiar: segundo dia da Feira do Peixe de Mâncio Lima é marcada pelo concurso de maior pescado em açude e pesca artesanal

A VI Feira do Peixe e Agricultura Familiar tem atraído centenas de visitantes e curiosos que passam na Praça São Sebastião para acompanhar a movimentação. Hoje, quarta-feira, 27, foi a vez do concurso do maior pescado da feira, dividido em duas categorias: peixe criado em açude e peixe proveniente da pesca artesanal.

Na categoria peixe criado em açude, cinco variedades concorreram ao prêmio de R$ 800,00: pintado, matrinxã, tambaqui, pirapitinga e piau. Os peixes pesaram entre dois a nove quilos, ficando o tambaqui como o maior pescado de açude com 9,7 quilogramas, do piscicultor Erisson Macedo.

“É preciso ter muito cuidado e muita dedicação, porque criar peixe não é fácil e nem simples e, alguns técnicos até dizem que quem cria peixe da conta de fazer tudo na vida. Este concurso é uma oportunidade muito boa de nós mostrarmos a qualidade do nosso peixe, que haja mais concursos como esse, valorizando o nosso trabalho e o nosso produto. O tambaqui, é o segundo peixe mais procurado na feira pela qualidade da carne e o sabor que ele tem e, para mim é motivo de alegria ser o vencedor deste concurso com este peixe”, disse Erisson Macêdo, piscicultor.

Mas, o peixe que mais chamou a atenção dos visitantes foi o jundiá, também conhecido como bagre, uma espécie muito comum nos rios da região, de crescimento rápido e alta taxa de reprodução. O animal foi capturado pelos irmãos Jackson e Jardeson no Rio Japiim com o utensilio de pesca conhecido como ponta de linha, que usa como isca peixes menores, o jundiá pesou 58 quilos e desbancou todos os outros concorrentes.

“Quem vê um peixe desse tamanho acha que é fácil pegar, mas da um trabalho grande, as vezes você fica de duas a três noites com a ponta de linha armada para poder pegar, isso quando da sorte. Graças a Deus que na noite que nós armamos os anzóis já conseguimos pegar esse jundiá. Estamos muito felizes pela premiação da prefeitura e pela premiação que a colônia de Pescadores também deu. Os nossos rios são muito bons para pegar esse tipo, agora é só vender ele e comemorar o primeiro lugar”, destacou Jackson Lima de Oliveira, pescador artesanal.

O Prefeito Isaac Lima acompanhou todo o processo de pesagem dos concorrentes ao título, o gestor se disse feliz com o espírito competitivo e com a qualidade dos peixes vencedores. “Quando fizemos o primeiro concurso do maior pescado da nossa feira ele foi tímido, os peixes pequenos e houve pouca concorrência, hoje, vejo o quanto os piscicultores investiram para concorrerem este ano, o que vimos foram peixes de mais de 50 quilos, como o pescado no rio e peixe de açude com quase 10 quilos. Isto é investir nas pessoas, é valorizar o trabalho duro de quem trabalha com esta cultura agrícola”, finalizou o gestor de Mâncio Lima.

A feira se encerra quinta-feira, 28, com a continuidade de vendas de peixes, artesanatos e produtos da agricultura familiar. O encerramento conta, ainda, com o concurso de culinária, três concorrentes já estão inscritos com pratos regionais derivados do peixe. Durante todos os dias a feira conta com a participação de artistas locais das igrejas Católica e Evangélica que alegram os visitantes de louvores e reflexões sobre a Semana Santa.

Galeria de imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário

Comments


bottom of page