...
 

Secretaria de Assistência Social realiza caminhada contra a exploração do trabalho infantil


A Secretaria de Assistência Social, juntamente com o CRAS, realizou na manhã, desta segunda-feira, 14, uma caminhada para conscientizar e chamar a atenção da população acerca da exploração do trabalho infantil. A caminhada teve início em frente ao prédio da assistência social e encerrou na praça São Sebastião.

"A criança precisa sim aprender com os pais acerca do valor do trabalho, o que não pode é ela ser explorada e retirado os seus direitos de ir à escola, de ter o seu momento de lazer. Nós, enquanto gestão, temos o compromisso de fazer valer esses direitos e por fim de uma vez por toda a mão de obra pesada e danosa, que muitas crianças e adolescentes ainda são submetidas", falou Isaac Lima, prefeito de Mâncio Lima.

O trabalho infantil doméstico em casa de terceiros é uma das formas mais comuns e tradicionais de exploração. As meninas e meninos adolescentes que realizam atividades domésticas são trabalhadores invisíveis, pois seu trabalho é realizado no interior de casas que não são suas, sem nenhum sistema de controle e longe de suas famílias. Este grupo é provavelmente o mais vulnerável e explorado, bem como, o mais difícil de ser protegido.

"Sabemos que aqui em nossa cidade ainda temos exploração da mão de obra infantil, muitas vezes as famílias escondem essa triste realidade, seja por medo ou até mesmo por necessidade. Nós, enquanto assistência social, queremos fazer esse chamamento à sociedade pra esta realidade que poucos de nós conhecemos. A criança tem que estar na escola, tem que ter seu lazer, tem que viver sua infância, o trabalho penoso priva a criança de tudo isso, priva ela de seu potencial e sua dignidade. Esta atividade tem o objetivo de conscientizar e alertar de que o uso da mão de obra infantil é crime", finalizou Rocilda Mendonça, Secretária Municipal de Assistência Social.

No Brasil, o trabalho é proibido para quem ainda não completou 16 anos, como regra geral. O trabalho infantil é ilegal e priva crianças e adolescentes de uma infância normal, impedindo-os não só de frequentar a escola e estudar normalmente, mas também de desenvolver de maneira saudável todas as suas capacidades e habilidades.

Antes de tudo, o trabalho infantil é uma grave violação dos direitos humanos e dos direitos e princípios fundamentais no trabalho, representando uma das principais antíteses do trabalho decente.


Assessoria de Comunicação Social