Saúde Itinerante de Mâncio Lima realiza mais de 1,2 mil atendimentos em comunidades ribeirinhas


Mais uma grande ação da Prefeitura de Mâncio Lima, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vem promovendo qualidade de vida e bem-estar aos cidadãos que residem em regiões isoladas do Município, como as áreas rurais ribeirinhas, Rio Moa, Rio Azul e seus afluentes.

Do dia 22 de março a 01 de abril, uma equipe de multiprofissionais estão atendendo os moradores do interior com o mutirão de atendimentos realizados pelo Programa Saúde Itinerante.


“O trabalho desta equipe está sendo muito bom e estamos tendo excelentes resultados. Com a periodicidade da vinda do programa percebemos que as pessoas estão indo menos ao médico, contudo, observamos o surgimento de problemas que nos preocupam, como é o caso da fibromialgia e verminose. Se tem menos procura pelos serviços é porque a nossa população está mais saudável e preocupada com a saúde e a qualidade de vida”, disse Abraão do Amaral Pinheiro, Coordenador do Programa Saúde Itinerante.

Com uma periodicidade de 30 a 60 dias, a ida de uma equipe médica às comunidades distantes tem diminuído o fluxo nas UBS e a população tem passado a ter um atendimento diferenciado e mais humanizado. Um dos relatos mais comum tem sido dores musculares e casos de diarreia ocasionados pelo uso da água sem tratamento e a falta de saneamento básico.


“Nesta viagem, encontramos muitos casos de lombalgia, por serem agricultores que tem que trabalhar no roçado para sustentar a família. Contudo, há o desejo de cuidarem mais da saúde e terem uma qualidade de vida melhor. A população se alegra e se sente feliz com a chegada de uma equipe médica tão diversa, disposta a ouvirem, a darem uma atenção especial e trazendo medicação suficiente para atender e cuidar das doenças identificadas. Para mim, enquanto médico, é gratificante e renovador ver no semblante de cada pessoa a alegria de ter sido atendida e, se não resolvido, pelo menos saber o a causa do que está sentindo”, falou Alexis Fernandez Cardentey Paiva, Clínico Geral.

A fibromialgia é uma síndrome que causa múltiplos pontos de dor por todo o corpo. Associado ao quadro de dor, apresenta manifestações de cansaço, depressão e ansiedade e alterações intestinais, o excesso de trabalho na agricultura, a má alimentação tem gerado esses e outros problemas na população ribeirinha. A boa notícia é que a fibromialgia tem tratamento e todos esses sintomas podem ser controlados e a qualidade de vida restabelecida.


“Eu sou morador do Pé da Serra há 63 anos, enfrentávamos muitas dificuldades, o médico vinha, na maioria das vezes, uma vez no ano e se caso alguém adoecesse tínhamos que pegar o barco e descer pra cidade. Hoje tá bom demais, tem médico, enfermeiro e dentista quase todos meses, tem medicamentos facilitando e evoluindo para todos nós”, relatou Lauro Moreira, agricultor.

Mas, além dos atendimentos médicos, odontológicos e de enfermagem, a novidade da equipe foi a presença de uma nutricionista e uma psicóloga. Embora residam na zona ribeirinha, distantes da correria da cidade, muitos casos de depressão, ansiedade, decorrentes de situações de violência doméstica, dificuldades do dia-a-dia e gástricos foram detectados, estes, tanto na população jovem como adulta o que exigiu o trabalho de reeducação alimentar, psicoeducação, orientação e uso de medicação.


“Estou muito feliz com essa equipe que está aqui para nos atender, nós, que moramos no Pé da Serra, estamos muito longe do centro da cidade, é muito caro descer para ser atendido por um médico ou por um dentista e, hoje temos tudo isso aqui, sem contar que tem o medicamento, o dentista e o psicólogo. Aproveitei pra vir conversar com eles para prevenir problemas de saúde futuros, graças a Deus a saúde está boa”, finalizou Lucia Moreira da Silva, 65 anos, moradora do Pé da Serra.


Planejamento Familiar


Um programa que tem dado resultados, principalmente na zona rural ribeirinha, tem sido o de controle da natalidade e planejamento familiar. Com a frequência das orientações observou-se uma redução no número de gravidas tanto no Rio Moa como no Rio Azul, as famílias passaram a ter planejamento familiar e reduzir quantidade de filhos, nestas comunidades ribeirinhas era comum ver famílias com até 10 filhos.


“O Programa Saúde Itinerante tem apresentado resultados importantes e melhorado a saúde da nossa população. Mesmo com as dificuldades que a equipe encontra em função da distância, das condições dos rios e a logística, nós estamos chegando em localidades onde até então nenhuma equipe de saúde havia chegado. Pela primeira vez estamos trazendo uma equipe com multiprofissionais, médico, dentista, psicólogo, enfermeiro, técnicos, nutricionista e atendente de farmácia somando nos atendimentos e na qualidade dos serviços, isso é responsabilidade e compromisso com o povo”, ressaltou Pedro Figueiredo, Coordenador de Vigilância Epidemiológica.