Produção: Prefeitura de Mâncio Lima e Governo do Estado executam programa de mecanização agrícola


Teve início, na manhã desta quarta-feira (07), na comunidade Belo Monte, o Programa Municipal de Mecanização Agrícola, este ano o programa conta com a parceria do Governo do Estado que, por meio da SEPA, doou dois mil litros de combustível para atender as comunidades Belo Monte e Pentecostes.


“Este é o segundo ano em que estamos vindo para a comunidade do Belo Monte e Pentecostes com um número maior de tratores para atender aos nossos produtores, sabemos que precisamos melhorar mais o apoio ao homem do campo. Além da mecanização, estamos investindo em recuperação e adubagem do solo, já temos garantido mais de R$ 7 milhões, fruto de emendas parlamentares, para compra de insumos e, tão logo encerre os tramites burocráticos do processo licitatório, estaremos realizando a distribuição para o produtor rural.

Esta parceria com o Governo do Estado é muito importante, pois faz com que a prefeitura atinja um número maior de área mecanizada”, disse Isaac Lima, Prefeito de Mâncio Lima.

Francisco Batista da Silva, morador há 30 anos da comunidade Belo Monte sempre trabalhou na agricultura familiar, sua área de 80 hectares é onde ele planta a cana de açúcar e produz a farinha de mandioca para o sustento da família. O agricultor se disse satisfeito com o apoio da prefeitura e a atenção que o Governo do Estado tem dado ao homem do campo.


“Estou muito feliz porque, como a minha área é no começo do ramal, a prefeitura inicia a mecanização sempre por aqui, são muito atenciosos e fazem um bom trabalho, ajuda para melhorar o solo e ter uma boa colheita no meu roçado”, Francisco Batista de Silva, agricultor da comunidade Belo Monte.

Na manhã do dia 02 de junho, durante mais uma edição da Caravana da Produção, foi inaugurada, em Mâncio Lima, na comunidade Pentecostes, a primeira casa de farinha automatizada do Vale do Juruá. A iniciativa vai dinamizar a cadeia produtiva da mandioca na região.


Presente no evento, o Vereador Zeca do Pentecostes (MDB) aproveitou a oportunidade para reivindicar junto ao titular da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio, Nenê Junqueira, apoio para ampliação do Programa Municipal de Mecanização Agrícola e que prontamente foi atendido, ficando então o Governo incumbido de doar dois mil litros de combustível para mecanizar 140 horas e que será doado para as famílias de baixa renda e sem vínculo empregatício.

“O momento é de alegria porque graças a Deus as coisas que tenho reivindicado para os produtores rurais estão chegando. É gratificante porque pela primeira vez nós conseguimos firmar um convênio do Governo do Estado com a Prefeitura a partir de um pedido meu feito ao Secretário da SEPA para a doação de dois mil litros de óleo diesel, pode parecer pouco, mas, para aqueles produtores que não tem renda nenhuma é uma ajuda grande. Sempre tenho dito que o trabalho em conjunto e o fortalecimento do homem do campo é que vamos melhorar a vida da nossa população”, ressaltou Zeca do Pentecostes, Vereador (MDB).

A comunidade Belo Monte está localizada às margens direitas do rio Moa distante cerca de 55 quilômetros do centro da cidade. Ali, a maior produção é a farinha da mandioca e, de maneira ainda tímida, alguns produtores, com o apoio da Secretaria Municipal de Produção, estão aderindo ao cultivo do café e da pimenta. Só em 2020 foram mecanizadas mais de 500 horas de trator.


“A nossa expectativa é atender mais de 600 famílias de produtores rurais com este convênio do Governo do Estado com a Prefeitura. Estamos incentivando a diversificação agrícola com o cultivo do café e da pimenta do reino, essas duas comunidades são tradicionalmente produtoras de farinha de mandioca tanto que foram contemplados com duas casas de farinha automatizada”, finalizou Ezio Pereira Júnior, Secretário Municipal de Produção.

As comunidades Pentecostes e Belo Monte foram contempladas com duas casas de farinha automatizadas e montadas com apoio do governo do Estado, por meio da Sepa, da Emater, da Prefeitura de Mâncio Lima, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Cooperativa Nova Aliança.


A casa de farinha automatizada vai ajudar produtores a tornar o processo de produção de farinha mais ágil e tem o objetivo de dinamizar a produção e a cadeia produtiva de mandioca na região. A iniciativa faz parte do programa de identificação geográfica da farinha de Cruzeiro do Sul.

A partir de agora, os produtores terão capacidade de triplicar a produção diária, suportando produzir aproximadamente 1.100 kg de farinha ao dia, sendo que uma produção manual produz no máximo 400 kg do por dia. O Secretário Especial, Danilo Chagas esteve acompanhando o prefeito Isaac Lima na visita as comunidades rurais.


Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário