Prefeitura e Governo do Estado intensificam programa de mecanização agrícola em comunidades rurais


O uso de maquinário especializado para a mecanização e preparo do solo permitiu a ampliação da produção agrícola e melhorias na qualidade do produto que chega à mesa do consumidor, com este processo é possível ampliar mais e mais a produção de alimentos.

“A mecanização agrícola em Mâncio Lima é um programa anual que a prefeitura vem executando junto aos produtores rurais que nos solicitam este serviço. Este processo, tem como objetivo facilitar o processo produtivo dos agricultores. A terra mecanizada, trabalhada, contribui na produção e na colheita dos produtos com qualidade”, falou Alana Souza, Secretária Municipal de Produção.

Uma área em que o solo é trabalhado manualmente a produção pode chegar a 20%, já uma área em que entram as máquinas para aragem da terra a produção ultrapassa os 40% com a diminuição do tempo do plantio e da mão de obra empregada.


Em Mâncio Lima, este processo já iniciou desde o mês de maio pelas comunidades da Maloca, São Domingos, Ramal do 20, e Feijão Insosso somando mais de 150 horas trabalhadas, 105 famílias atendidas até esta data e um investimento de mais de R$ 20 mil com a aquisição de combustível.

“Este trabalho de mecanização agrícola é de um ganho muito grande para a produção de nossa cidade. Mâncio Lima é uma cidade tipicamente agrícola e, nos últimos anos nossa gestão tem trabalhado para fortalecer e diversificar a produção agrícola familiar. Aqui nos Puyanawa, os produtores são grandes e, dentro de cada família, tem de dois a três agricultores. Pensando no ganho financeiro, na qualidade de vida de nossas famílias que vivem do campo observamos o padrão de vida delas, todos vivem com dignidade e com o mínimo necessário que uma família precisa para sobreviver”, destacou Ângela Valente, Vice-prefeita de Mâncio Lima.

Na Terra Indígena Puyanawa, localizada a pouco mais 15 quilômetros do centro da cidade, a parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Mâncio Lima vai atender mais de 120 produtores rurais que cultivam a farinha de mandioca, o feijão e a melancia. Para esta comunidade o convênio foi firmado para a doação de combustível por parte do Governo e a disponibilização das maquinas e operadores por parte da Prefeitura, o investimento soma mais de R$ 50 mil. O Deracre e a Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA, são os responsáveis pelo gerenciam do combustível e apoio técnico.

Na manhã da última quarta-feira, 21, o Gerente Regional do DERACRE no Juruá, José Mauri e Gerente da SEPA em Mâncio Lima, Adermanda Cavalcante, estiveram na Terra Indígena para acompanhar o início da aragem de terras.

“Esta parceria gera um impacto muito grande na vida dos nossos parentes, melhora a renda da família, aumenta a produtividade e o surgimento de novas culturas agrícolas. Estou muito feliz em poder compartilhar com o meu povo destas benfeitorias pois, a mecanização agrícola garante a preservação da natureza, a floresta em pé, evita o uso do fogo que descontrolado causa danos ao meio ambiente e gera sérios prejuízos econômicos. Sempre trabalhamos assim, plantando sem derrubar floresta, totalizando mais de 150 quadras de terras mecanizadas repercutindo na colheita e comercialização do produto”, finalizou Joel Puyanawa, Cacique e Vereador da Terra Indígena Puyanawa.

O processo de modernização das práticas agropecuárias, como a inserção de maquinários nos sistemas produtivos e de alta tecnologia para ampliar a produtividade ou a promoção de novas formas de desenvolvimento tem melhorado a vida do homem do campo e diversificado a agricultura familiar em Mâncio Lima, estimulando e promovendo o desenvolvimento econômico e social através do aumento da produtividade e diversificação de culturas nas propriedades rurais dos agricultores familiares.

Galeria de Imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Imagens: Evandro Ibernon


0 comentário