top of page

Prefeitura de Mâncio Lima presta auxílio as famílias atingidas por forte vendaval


A tarde da última segunda-feira, 04, foi marcada por momentos de pânico e devastação nos Ramais do Feijão Insosso e Igarapé do Banho. Mais de 30 famílias tiveram suas casas destruídas, com perca total e outras parcialmente.


A propriedade da produtora rural Katrine Viera foi uma das mais atingidas. Da casa, recém construída, restou apenas o assoalho. O cenário é desolador, móveis, eletrodomésticos e louças espalhados por toda a propriedade, com um prejuízo em mais de R$ 80 mil.

“É triste ver um trabalho de três anos ser destruído em poucos minutos, eu já estava prestes a me mudar em definitivo para a minha propriedade para cuida das minhas coisas. Quando os vizinhos avisaram o que o vento havia feito eu fiquei sem acreditar, a única reação foi chorar. Por sorte, e, graças a Deus, que nem eu e nem minhas duas filhas estávamos em casa. Agora é contabilizar os prejuízos e recomeçar do zero, mais uma vez”, disse a produtora rural.

A combinação de ventania e chuva resultou em um cenário de árvores reviradas, outras arrancadas pela raiz, telhados arremessados a mais de 100 metros por onde o vendaval passou. A residência da agricultora Rosilda Mendes Vieira, moradora há 24 anos do Ramal do Feijão Insosso, foi totalmente descoberta e a casa ameaça cair a qualquer momento, para se proteger e conseguir um lugar seguro a mesma está abrigada na casa de um vizinho.

“Quando eu ouvi aquele ruído forte, a primeira coisa que fiz foi me esconder no canto da casa, fechar os olhos e começar a rezar para que tudo aquilo passasse logo, não era um barulho qualquer, era uma quebradeira, com objetos voando que mais parecia coisa do outro mundo. Quando passou que abri os olhos a casa estava toda descoberta, antena jogada no campo e as árvores reviradas. Foram momentos de desespero a aflição, fiquei sem chão e, só rezando para que o pior não acontecesse comigo”, reatou dona Rosilda.


Na escola Manoel Antônio Cavalcante, localizada no mesmo ramal, parte do telhado foi destruído, com telhas espalhadas por todo o prédio, livros arremessados na estrada e outros encharcados da chuva. As aulas da noite e da parte da manhã estão suspensas até que os reparos sejam feitos e o prédio ofereça segurança para os alunos.

Em visita às famílias atingidas, o Prefeito Isaac Lima, acompanhado da Coordenadora da Defesa Civil, Adriana Santos, ordenou apoio emergencial às famílias mais atingidas e, já está providenciando um relatório para enviar a Coordenação de Defesa Civil. A Coordenadoria Municipal continua a visita em ambos os ramais para detectar outras propriedades rurais afetadas por este fenômeno natural.

Os vendavais, ou tempestade local, como é o caso da que aconteceu na tarde ontem, são perturbações marcantes no estado normal da atmosfera. Deslocamento violento de uma massa de ar, de uma área de alta pressão para outra de baixa pressão. Os vendavais, também chamados de ventos muito duros, correspondem ao número 10 na escala de Beaufort, compreendendo ventos cujas velocidades variam entre 88,0 a 102,0 km/h.

Os vendavais são provocados pelo deslocamento violento de uma massa de ar. Normalmente são acompanhados de precipitações hídricas intensas e concentradas, que caracterizam as tempestades. O superaquecimento local, ao provocar a formação de grandes cumulunimbus isolados, gera correntes de deslocamentos horizontal e vertical de grande violência e de elevado poder destruidor normalmente acompanhadas de grande quantidade de raios e trovões.

Agora, com o apoio do poder público, as famílias enfrentam o desafio de reconstruir as residências e lidar com os prejuízos causados pelo evento. Não houve o registro de feridos e ocorrências na zona urbana da cidade.

Galeria de imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário

Kommentare


bottom of page