top of page

Para combater malária, Prefeitura investe em capacitação, ações continuadas e entrega de mosquiteiro


A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea do mosquito da espécie Anopheles. Reveste-se de importância epidemiológica por sua gravidade clínica e elevado potencial de disseminação em áreas com densidade vetorial que favoreça sua transmissão. Os vetores da malária são mais abundantes ao entardecer e ao amanhecer. O agente etiológico da doença é o protozoário do gênero Plasmodium. No Brasil, três espécies causam a malária em seres humanos: P. vivax, P. falciparum e P. malariae.


A dinâmica epidemiológica da malária não pode ser resumida às variáveis climáticas, mas a situação epidemiológica da doença pode ser agravada por variáveis como chuva, temperatura e umidade. Destaca-se a presença mais abundante do vetor nas estações de transição entre seca e chuva e vice-versa.

“A prevenção salva vidas, um simples copo com água no fundo do quintal pode proliferar um vetor da doença ocasionando uma infecção grave levando o cidadão a morte. A capacitação dos agentes para o trabalho do dia a dia é muito importante. Houve um aumento de casos de malária no mês de janeiro, visto que é um período sazonal da doença com o aumento de chuvas, o acumulo de águas e os criadouros do mosquito. Diante disto, estamos fortalecendo as ações com visitas domiciliares, orientações, capacitação dos profissionais e entregas de mosquiteiros”, falou Francisco Melo, Gente de Endemias.

Com base neste cenário e considerando o aumento dos casos de malária, a Secretaria Municipal de Saúde está realizando, por meio da Gerência de Endemias, uma capacitação para os Agentes de Combate as Endemias (ACE) e os Agentes Comunitários de Saúde (ACS). A capacitação faz parte do Programa Saúde com a gente, criado em atenção as leis que ampliaram as atribuições dos ACS e dos ACE para fortalecer a política de Atenção Básica do Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da formação ampla objetivando oferecer qualificação técnica para 200 mil agentes de saúde em todo o Brasil.


“Esta iniciativa visa melhorar os indicadores de saúde, a qualidade e a resolutividade dos serviços da Atenção Primária visto que temos agora novas atribuições tais como ministrar vacina, verificar pressão arterial e curativos. Estaremos, ao final do curso, aptos a desenvolver essas novas funções em área. Também reforça a valorização dos Agentes, que desempenham papel relevante como educadores para a cidadania na Saúde, por meio de maior atuação na prevenção e no cuidado das pessoas” ressaltou Maico Rodrigues dos Santos, ACS.

Para as aulas teóricas, o Bairro Guarani foi o escolhido visto que somente no mês de janeiro foram registrados 25 casos de malária destes, dois casos são de falciparum a forma mais agressiva e perigosa da doença, em todo o município foram diagnosticados 234 casos da doença. Agentes da zona urbana, zona rural terrestre e fluvial estão visitando os domicílios sob a orientação da mediadora a Enfermeira Natali Dias. O morador Manoel Socorro segue todas as orientações e cuidados para proteger a si mesmo e sua família.


“Aqui em casa tem pouco mais de um ano que teve casos de malária e dengue, os Agentes de Saúde estiveram aqui, verificaram de onde estava vindo o mosquito, eliminamos um poço que eu tinha e passei a usar os cortinados impregnados, graças a Deus não houve mais ninguém doente com malária”, finalizou Manoel Socorro, agricultor.

Paralelo as visitas de orientação os ACE e dos ACS, estão realizando a entrega de mosquiteiros impregnados com um medicamento contra a malária utilizado com frequência em humanos e que tem se tornado uma nova ferramenta para combater a doença funcionando como uma barreira física impedindo o contacto homem-vetor, dado que certos mosquitos se tornaram resistentes aos inseticidas. O intuito do curso é que esses profissionais tenham um olhar apurado sobre informações coletadas nas residências e saibam melhor orientar os pacientes que necessitam de atendimento.

Galeria de imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário

Comments


bottom of page