Mâncio Lima sedia II Seminário Regional do Café com participação de cinco municípios do Acre


O II Seminário do Café Clonal de Mâncio Lima reuniu centenas de participantes desde produtores rurais à técnicos, políticos e empresários. O seminário de cunho local ganhou ares de evento regional. Secretários Municipais de Tarauacá, Feijó, Jordão, Rodrigues Alves, trouxeram técnicos e produtores agrícolas de seus respectivos municípios, além da participação de Cruzeiro do Sul.

Com o objetivo de discutir a cultura agrícola do café, o seminário teve a participação de palestrantes renomados do Estado do Acre. Pesquisadores da EMBRAPA-ACRE e Rondônia, SENAR, falaram dos aspectos da cafeicultura no Acre e da implantação e manejo de cafezais. Aspectos tecnológicos, cuidados com adubação, limpeza, poda e biossegurança da planta também foram apresentados.

O atual mercado do café é promissor com comercialização garantida, medida conforme a cotação do dólar. Cuidados na colheita e pós-colheita também foram um dos temas do seminário.


Além do conhecimento teórico, os participantes tiveram uma manhã de campo, visitando três propriedades modelos, a do Deputado Jonas Lima, o Viveiro Vó Raimundo e o sítio do senhor Edno Guedes, este, um modelo de sistema agroflorestal sustentável. Nas visitas foram apresentados todos os cuidados com o plantio, irrigação, sistema de secagem e embalagem do produto além dos aspectos relacionados aos cuidados com o café.

Edno Guedes é um dos maiores entusiastas do cultivo do café. Na propriedade de 41 hectares, localizada no ramal do Batoque, ele cultiva coco, tangerina, laranja, peixe, abacate, açaí e o amendoim. Os mais de 82 mil pés de café vieram para diversificar a economia do produtor rural.

Foi somente na primeira gestão do Prefeito Isaac Lima, apoiado pelo Deputado Jonas Lima e o deputado Federal, na época, Siba Machado que o sonho de reavivar esta cultura tão importante ganhava corpo. Após uma viagem de intercâmbio ao Estado de Rondônia, começava a chegar em Mâncio Lima as primeiras 12 mil mudas de café clonal.

Mas, em Mâncio Lima, terra fértil e produtiva, também é possível cultivar o café em pequena escala. De 2020 a 2021, o município conseguiu mais de R$ 4,2 milhões de recursos para agricultura familiar, sendo R$ 2 milhões destinados ao cultivo do café. Partes desses recursos estão em fase de licitação, visto que, o aumento no valor de alguns equipamentos tem dificultado a aquisição, bem como, de insumos.

Investimentos no Café previstos para 2021: Deputada Federal Jéssica Sales R$ 2.500 mil, Deputada Federal Perpetua Almeida R$ 2 milhões, Deputado Estadual Jonas Lima R$ 250 mil, Deputado Federal Leo de Brito Emenda Especial R$ 600 mil, Deputado Federal Jesus Sérgio: R$ 600 mil.


O que disseram:


“O momento é de muita alegria por estar à frente da Prefeitura de Mâncio Lima e realizando um evento tão importante como este, reunindo produtores e técnicos de vários municípios do Acre. O Deputado Jonas Lima está de parabéns, porque foi dele a iniciativa de resgatar o café em Mâncio Lima, foi um dos maiores incentivadores e, o resultado já aparece, temos agricultores colhendo café, vendendo e melhorando a renda familiar, visto que, o mesmo, tem um excelente preço de mercado, mais pessoa estão aderindo e acredito que em quatro anos seremos um dos maiores produtores de café do Acre”, Isaac Lima, Prefeito de Mâncio Lima.


“Esse é um momento muito importante, nós estamos fazendo um trabalho solidário, pois, não queremos que a cultura agrícola do café fique somente em Mâncio Lima, estamos apoiando e apresentando nossa experiencia a outros municípios, mostrando in loco o processo que passamos para chegarmos até aqui. Nossa gestão está pesando coletivamente no desenvolvimento econômico do nosso Juruá, quero parabenizar a Secretária de Produção, os municípios que nos visitam, os nossos parceiros como o Sebrae, Senar, Embrapa e a Ufac, os nossos produtores que dão um brilho todo especial a este seminário”. Ângela Valente, Vice-prefeita de Mâncio Lima.


“A impressão é das melhores, nós, os Deputados Estaduais, estamos muito atentos a tudo isso, eu já visitei vários plantios de café e, entendo que é por meio da agricultura que o Acre irá se tornar um grande produtor agrícola, temos ótimas terras e clima favorável. É por meio de iniciativas como esta do Prefeito Isaac Lima que a cultura do café chegará a outros municípios, levo daqui muito entusiasmo e confiança”. Manole Moraes, Deputado Estadual.


“A cadeia produtiva do café sempre se consolidou com grande sucesso e como norteadora do desenvolvimento produtivo na zona rural, a história do Brasil é marcada pelo desenvolvimento do café. No Acre, mas principalmente agora em Mâncio Lima, isso se torna protagonista para o desenvolvimento rural, são diversas ações integradas, diversos atores envolvidos atuando para o fortalecimento desta cadeia produtiva. A pesquisa, a tecnologia, a inovação e principalmente o empreendedorismo tem trazido alternativa para o homem do campo. Este seminário em Mâncio Lima se consolida principalmente pela integração Tarauacá, Envira e Vale do Juruá, para o Sebrae é importante porque quando a produção se torna forte o processo agroindustrial também se torna forte, arde de distribuição e a comercialização também sairá fortalecida melhorando a vida do nosso produtor rural”. Franciney Santos, Diretor Administrativo e Financeiro do SEBRAE.


“Este seminário se consolida como um dos eventos mais importantes da região do Juruá e histórico para Mâncio Lima, hoje, aqui, temos agricultores, técnicos e Secretários interessados em conhecer mais esta cultura que já existiu na região e volta com força e com uma excelente adesão. Já destinei emendas parlamentares de minha autoria para fortalecer o café, o Prefeito Isaac tem feitos grandes investimentos, afim de fazer deste município referência no cultivo do café Conilon Clonal. É uma atividade agrícola com mercado e excelente preço e tem rentabilidade muito forte, a título de exemplo uma quadra de café, cultivada no modo tradicional vai levar uma renda anual de R$ 70 mil para uma família, uma quadra dá para plantar 3,5 mil pés de café, a mesma área de farinha de mandioca renderia pouco mais de R$ 8 mil ano”. Jonas Lima, Deputado Estadual.


“O evento superou as nossas expectativas, primeiro, pela quantidade de participantes, segundo, pelos os nossos visitantes de outros municípios e, por último, pela qualidade dos debates, das palestras e das visitas de campo. Estou muito animada e confiante que Mâncio Lima será a cidade referência na produção do café, gerando renda para o município, melhorando a vida dos nossos produtores rurais e acima de tudo, diversificando a produção rural”. Alana Souza, Secretária Municipal de Produção.


“Quero parabenizar o Prefeito Isaac, a Secretária Alana e ao Deputado Jonas Lima pela acolhida e recepção calorosa. Nós viemos com 10 produtores rurais para conhecer a experiencia de Mâncio Lima e levar os bons exemplos desta cidade para diversificar a nossa produção. Temos o apoio e o incentivo da nossa Prefeita, o Deputado Jesus Sérgio é outro entusiasta e já disponibilizou recursos e, tenho certeza que a partir deste seminário Tarauacá também será um grande produtor de café”. Narcélio Bayma, Secretário Municipal de Produção de Tarauacá.


“Eu faço uma avaliação muita positiva, é importante ter essa ligação entre o conhecimento técnico, teórico e a vivencia pratica dos produtores, que são verdadeiros cientistas. Em Mâncio Lima, conhecemos diferentes tipos de cultivos de café, porém, todos produtivos, funcionado e dando resultado ao produtor e mostrando que a cafeicultura na região está dando certo e pode ser levada a outros municípios”. Daniel Lambertucci, Pesquisador da EMBRAPA.


“Eu entrei na cultura em 2019, a convite do Deputado Jonas Lima, e não me arrependo, entramos sem saber quase nada e hoje já somos exemplos. É uma cultura que traz segurança, tenho plantado 7 mil pés com a estimativa de colher 200 sacas. A gestão está de parabéns e acredito muito que daqui há dois anos teremos muito mais agricultores cultivando café. Aprendi muito com as palestras, com cada ensinamento, um evento rico e que nos deixa ainda mais tranquilos e confiantes para plantar cada vez mais”. Fredson Lima, produtor rural.


Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário