Mâncio Lima sedia II Seminário Regional do Café com participação de cinco municípios do Acre


O II Seminário do Café Clonal de Mâncio Lima reuniu centenas de participantes desde produtores rurais à técnicos, políticos e empresários. O seminário de cunho local ganhou ares de evento regional. Secretários Municipais de Tarauacá, Feijó, Jordão, Rodrigues Alves, trouxeram técnicos e produtores agrícolas de seus respectivos municípios, além da participação de Cruzeiro do Sul.

Com o objetivo de discutir a cultura agrícola do café, o seminário teve a participação de palestrantes renomados do Estado do Acre. Pesquisadores da EMBRAPA-ACRE e Rondônia, SENAR, falaram dos aspectos da cafeicultura no Acre e da implantação e manejo de cafezais. Aspectos tecnológicos, cuidados com adubação, limpeza, poda e biossegurança da planta também foram apresentados.

O atual mercado do café é promissor com comercialização garantida, medida conforme a cotação do dólar. Cuidados na colheita e pós-colheita também foram um dos temas do seminário.


Além do conhecimento teórico, os participantes tiveram uma manhã de campo, visitando três propriedades modelos, a do Deputado Jonas Lima, o Viveiro Vó Raimundo e o sítio do senhor Edno Guedes, este, um modelo de sistema agroflorestal sustentável. Nas visitas foram apresentados todos os cuidados com o plantio, irrigação, sistema de secagem e embalagem do produto além dos aspectos relacionados aos cuidados com o café.

Edno Guedes é um dos maiores entusiastas do cultivo do café. Na propriedade de 41 hectares, localizada no ramal do Batoque, ele cultiva coco, tangerina, laranja, peixe, abacate, açaí e o amendoim. Os mais de 82 mil pés de café vieram para diversificar a economia do produtor rural.

Foi somente na primeira gestão do Prefeito Isaac Lima, apoiado pelo Deputado Jonas Lima e o deputado Federal, na época, Siba Machado que o sonho de reavivar esta cultura tão importante ganhava corpo. Após uma viagem de intercâmbio ao Estado de Rondônia, começava a chegar em Mâncio Lima as primeiras 12 mil mudas de café clonal.

Mas, em Mâncio Lima, terra fértil e produtiva, também é possível cultivar o café em pequena escala. De 2020 a 2021, o município conseguiu mais de R$ 4,2 milhões de recursos para agricultura familiar, sendo R$ 2 milhões destinados ao cultivo do café. Partes desses recursos estão em fase de licitação, visto que, o aumento no valor de alguns equipamentos tem dificultado a aquisição, bem como, de insumos.

Investimentos no Café previstos para 2021: Deputada Federal Jéssica Sales R$ 2.500 mil, Deputada Federal Perpetua Almeida R$ 2 milhões, Deputado Estadual Jonas Lima R$ 250 mil, Deputado Federal Leo de Brito Emenda Especial R$ 600 mil, Deputado Federal Jesus Sérgio: R$ 600 mil.