top of page

Jornada de Educação Étnico Racial mobiliza rede Municipal e Estadual de Ensino

Até o final da tarde da última quinta-feira (21) gestores, coordenadores e professores da rede municipal e estadual de ensino participaram da I Jornada de Educação Étnico Racial de Mâncio Lima, promovida pela Prefeitura de Mâncio Lima, através da Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Secretaria de Educação do Estado e o Fórum Municipal de Educação Permanente Étnico Racial.


Iniciado na última quarta-feira, 20, o evento foi realizado na Escola Municipal Padre Edson e na Igreja Assembleia Deus. O principal objetivo da Jornada foi lançar o Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a educação das relações étnico raciais no ensino, cultura afro-brasileira e africana, com base na lei 10.639/2003 e 11.645/2008 e promover um debate acerca das leis, possibilitando discussões e ampliando a igualdade racial e cultura indígena dentro do ambiente escolar.

Aconteceu na abertura apresentação cultural do grupo de capoeira, formado por alunos da rede municipal de ensino e apresentação de professores indígenas mostrando sua cultura no evento, foi um dos atrativos da cerimônia de abertura. "Estamos aqui para mostrar a cultura negra e mobilizar o público na intenção de divulgar a dança como instrumento capaz de romper com o preconceito racial", colocou um dos integrantes do grupo de capoeira.


Estiveram presentes no evento, representando a SEE, a palestrante Goreth Pinto, Queila Batista e Irizane Vieira, que falaram sobre o Plano Nacional de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais, ministrando também a palestra sobre a importância das relações étnico raciais para educação.


Igualdade racial nas escolas


A escola tem o papel de formar o aluno para o exercício de cidadania, do trabalho e continuar aprendendo ao longo da vida. Esta é a orientação da Lei de Diretrizes de Bases e das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino no Brasil. Ampliar a cidadania é um dos objetivos principais que devem orientar o trabalho pedagógico, e por causa disso, a escola tem que buscar o desenvolvimento de competência e habilidades que permitam compreender a sociedade em que vivemos. Mas esta sociedade deve ser entendida como uma produção “dinâmica” dos seres humanos, um processo permanente de construção e reconstrução. O entendimento deste desenvolvimento da cidadania também significa a capacitação para saber avaliar o sentido do mundo em que se vive, os processos sociais e o papel de cada um nesses processos.

Para o Secretário Municipal de Educação, Junior Pinho, “Esse é um compromisso que tivemos para a realização dessa formação e a valorização da história e das culturas indígena e afro-brasileira, sendo a formação um instrumento para preparar as escolas para o cumprimento da lei. Na rede municipal as Leis serão cumpridas em todas as escolas. O nosso trabalho é pautado na construção de uma política antirracista. Assim, vamos orientar as nossas escolas para desenvolver projetos e ações que promovam discussões e reflexões para promoção da igualdade racial e mudança de atitude", explicou Junior Pinho.

A I Jornada de Educação Étnico Racial de Mâncio Lima contou com a participação de mais de 300 profissionais da Educação, tanto da rede estadual como municipal.

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Arquivos SEMEC

0 comentário

Comments


bottom of page