...
 

“Fora da Escola não Pode”: Caminhada da Busca Ativa Escolar percorre o centro de Mâncio Lima


Em busca de amenizar a evasão escolar, a Prefeitura de Mâncio Lima por meio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto, em parceria com as Secretarias Municipais de Saúde e Assistência Social, Conselho Tutela e Núcleo da SEE, realizaram na manhã desta sexta-feira (29), uma caminhada no Centro da Cidade para colocar em prática o programa Busca Ativa: “Fora da Escola Não Pode, com o objetivo de conscientizar a população da importância de saber que lugar de criança e adolescente é na escola, “mesmo que esteja funcionando em outros formatos”. A ação faz parte da campanha da Unicef, para chamar a atenção da sociedade para os 1,1 milhão de crianças e jovens que não estão frequentando a escola.


A caminhada contou com a participação de profissionais das Escolas Municipais e Estaduais, alunos, a vice-prefeita Ângela Valente, equipe técnica da SEMEC, Secretário Eriton Maia, Conselheiros Tutelares, Polícia Militar e a população, que ouviu atentamente as falas quanto a importância das crianças e adolescentes de 4 a 17 anos estarem matriculadas.

Brasil tem 1,1 milhão de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos de idade fora da escola, o que corresponde a 2,7% do total dessa população, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2019, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No Acre, essa porcentagem chega a 6,4% – a taxa mais elevada do país –, equivalente a 14,4 mil meninos e meninas fora da escola.


Além disso, há um grande número de crianças e adolescentes que estão em situação de atraso escolar ou foram reprovados(as), o que aumenta as chances de exclusão e de abandono. Segundo o Censo Escolar 2018, as redes públicas municipais e estaduais do Brasil somavam 6,4 milhões de estudantes com dois anos ou mais de atraso e 2,6 milhões de estudantes reprovados(as). O fracasso escolar atinge principalmente as meninas e os meninos que já são privados(as) de outros direitos constitucionais.

Segundo estudos elaborados pelo UNICEF e parceiros, os principais fatores que di­ficultam o acesso e a permanência na escola no Brasil são a discriminação racial, a pobreza, a violência e a baixa escolarização dos pais, mães ou responsáveis. Assim, os(as) mais afetados(as) pela exclusão escolar são crianças e adolescentes negros(as), que vivem no campo, de famílias de baixa renda e cujos pais, mães ou responsáveis têm pouca ou nenhuma escolaridade. Também estão entre os(as) mais excluídos(as) meninas e meninos com defi­ciência, migrantes, quilombolas e indígenas, em situação de trabalho infantil, que vivem em unidades de acolhimento institucional, sofrem algum tipo de exploração e estão em conflito com a lei.


ODS 4: por uma educação de qualidade para todas as pessoas

Esta atividade faz parte da Agenda 2030 e o ODS 4 que fala sobre a necessidade de “assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos”

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon