top of page

Dirigentes de cooperativas do Acre e de Santa Catarina fazem visita técnica em Mâncio Lima


O último final de semana, sábado, 23, foi marcado por uma extensa agenda na zona rural do município, com a presença de uma Comitiva de dirigentes de cooperativas do Acre e de Santa Catarina para visita técnica e intercâmbio, com o objetivo de conhecer a experiência da cultura do café desenvolvida por produtores da Cooperativa dos Cafeicultores do Vale do Juruá – Coopercafé, em parceria com a Prefeitura de Mâncio Lima. O primeiro encontro aconteceu na Casa de Cultura Márcia Alencar, onde a os cooperados recepcionaram os visitantes.

“Este encontro foi extremamente positivo, principalmente para a cultura do café, que já está consolidada no município e está se expandindo em toda região do Juruá. A política de trazer de volta o café conilon foi muito acertada pelo prefeito Isaac, por sua gestão e pelo apoio que, na época em que eu e o Sibá Machado éramos deputados, demos ao município. Esta foi uma oportunidade singular de trocar experiências com presidentes de cooperativas que já estão há bastante tempo em atuação nas diversas áreas, pudemos apresentar um pouco do nosso trabalho na Coopercafé e trocar experiências com os visitantes, quero agradecer o apoio da Secretaria de Produção e da Prefeitura que foi quem plantou esta semente lá atrás”, disse Jonas Lima, Presidente da COOPERCAFE.

A iniciativa, segundo o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Acre, constituída pela junção de três importantes instituições: A Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop), a Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado do Acre (OCB/AC) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado Valdemiro Rocha, se deve em razão da revolução que está acontecendo em Mâncio Lima com a produção de café.

“Nosso objetivo foi trazer um pouco da experiência de como o cooperativismo pode mudar a vida das pessoas, não só em relação as cooperativas agropecuárias e da agricultura familiar, mas, da área médica, produção, crédito e de serviços e, tornar o cooperativismo e outras formas de cooperativas mais conhecidos pelos cooperados da Cooper Café e de outras como CooperFarinha e CooperPeixe. A diretoria da OCB esteve presente e saímos muito satisfeitos com o que vimos e o que ouvimos dos produtores rurais. Foi uma oportunidade de troca de experiências entre os diversos ramos do cooperativismo, que tem crescido e se desenvolvido muito no Acre nos últimos anos”, destacou Manoel Valdemiro Rocha, Presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Acre – OCB.

A comitiva, após a recepção Casa de Cultura, seguiu para visitar algumas propriedades rurais que trabalham com café e outras culturas, a exemplo do senhor Osmar. Sua propriedade, localizada no Ramal do 20, tem uma produção consorciada com a farinha de mandioca, graviola, muito em breve com a castanha-do-Pará e o café, que já teve uma primeira safra bem produtiva, em que, no primeiro ano, foram plantados 1.000 pés de café, a primeira colheita lhe rendeu 20 sacas vendidas ao preço de R$ 600, gerando uma renda de R$ 12 mil, este ano, Osmar ampliou sua produção para 2 mil pés de café.

Na propriedade do senhor Leonardo, localizada no mesmo ramal, o modelo de produção agrícola é basicamente o mesmo, com exceção das hortaliças, que são vendidas nos mercados locais e na feira do Bairro São Francisco. Em ambas a propriedades rurais, a Prefeitura tem feito um trabalho de apoio na escoação, entrega de insumos e mudas, melhorias dos ramais e apoio técnico ao homem do campo.

“O cooperativismo significa reunir todos em torno de um bem comum, a COOPERCAFE nasceu com desafios, mas, acima de tudo com uma missão, melhorar a vida do produtor rural e alavancar a nossa economia. Foi uma semente plantada a partir da junção de forças da Prefeitura e, à época, o Jonas Lima, Sibá Machado e os produtores rurais que viram uma oportunidade de se organizarem e crescerem juntos. Hoje, muito me orgulho de onde chegamos, crescendo, nos tornando referência e associando mais produtores rurais. A gestão do Prefeito Isaac é referência no estado no desenvolvimento da política agrícola e permanecer com o homem do campo no campo, produzindo, melhorando a sua vida e da sua família”, ressaltou Alana Souza Secretaria Municipal de Produção.

Mais três propriedades serviram de exemplo de desenvolvimento e de como esta cultura tem crescido e aquecido a economia local. O Viveiro Vô Raimundo, de onde surgiram os primeiros clones para comercialização e que hoje já produz o café torrado e moído, a Chara Café Japiim, um outro modelo de produção consorciada e, desta feita, com a piscicultura e, a probidade do Presidente da CooperCafé, Jonas Lima. Jonas é um dos pioneiros e incentivadores para que a cultura do café se firme em Mâncio Lima e na região do Juruá.

A CooperCafé, criada em 2021, tem atualmente mais de 100 produtores de café associados, a cooperativa já contabiliza mais de um milhão e oitocentos mil pés de café plantados em propriedades com menos de uma mil hectares e que tem entre 500 a 1,5 mil pés de café plantados em áreas consorciadas.

O ex-senador da República Sibá Machado, que atualmente presta assessoramento técnico para algumas cooperativas do estado, demostrou otimismo com o processo produtivo do café no Vale do Juruá.


“Nos próximos dez anos o Acre deverá ter cerca de cinco mil hectares de café Robusta Amazônico plantados, o que pode gerar uma renda em torno de R$ 60 a 70 milhões de reais na agricultura familiar, e desde já estou muito alegre e feliz com o resultado deste trabalho que está sendo efetuado no nosso estado”, disse.

Admir Antônio Teston, membro do Conselho de Administração da CooperAlfa, de Chapecó em Santa Catarina, destacou de maneira positiva o trabalho desenvolvido na Coopercafé e na região do Juruá.


“Gostei muito da região, aqui é muito próspero e tem tudo para evoluir, principalmente, na questão do café que está no caminho certo, o cooperativismo tem que estar no sangue de todos aqueles que querem prosperar e ter uma qualidade de vida boa, uma renda boa e seguir em frente com suas atividades”, pontuou.

Participaram do intercâmbio no Vale do Juruá Manoel Valdemiro Francalino da Rocha, Presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Acre - OCB AC; Edilson Alves de Araújo, Vice-presidente da CapitalCredi e Presidente da Cooperbeef, Secretário-geral da OCB AC e Diretor do Ramo Agropecuário da OCB AC; Jorge Melo de Lima, Presidente da Coopermóveis, Diretor do Ramo Produção da OCB AC; Aloísio Inácio da Silva, Presidente Servicoop, Diretor do Ramo Trabalho da OCB AC; Sebastião Machado de Oliveira - colaborador da Cooperacre, Coopel e Coopercafé; Admir Antônio Teston - Membro do Conselho de Administração da CooperAlfa, em Chapecó, Santa Catarina; Rodrigo Forneck - Gerente de Desenvolvimento de Cooperativas do Sistema OCB/Sescoop Acre, também participou do encontro de por videoconferência o presidente da Unimed Rio Branco, Diretor do Ramo Saúde da OCB, Antônio Hebert Militão.

Galeria de imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário
bottom of page