...
 

COVID-19: Secretaria de Saúde presta contas dos recursos recebidos para combate ao novo Coronavírus


A audiência de prestação de contas dos recursos investidos em um ano de pandemia ocorreu no plenário da Câmara de Vereadores, contou a presença de parlamentares e representantes do Conselho Municipal de Saúde.


No dia 16 de abril, o Município de Mâncio Lima fechava suas portas, por meio de uma barreira sanitária, para evitar a entrada do vírus da Covid-19, uma ameaça global que iniciou em Wuhan, a vasta capital da província da China central. No Brasil, os primeiros casos já apareciam, principalmente, na capital paulista.

Daí em diante, travava-se uma luta contra um inimigo invisível e letal e, para esta guerra contra o vírus, a cidade mais ocidental do Brasil reunia esforços e recursos para proteger a população.

No dia 29 de abril de 2020, a Secretaria Municipal de Saúde de Mâncio Lima confirmou, que a cidade havia registrado o primeiro caso de Covid-19. Investimentos, contratação de pessoas, aquisição de equipamentos e insumos, definição de metodologia para evitar a propagação em grande escala do vírus, definição da Unidade de Saúde Sentinela, equipe de monitoramento e acompanhamento dos casos suspeitos e detectados, foram algumas das estratégias adotadas pela gestão naquela época.


“Estamos fazendo um ano de pandemia e, durante esse um ano, temos trabalhado incessantemente, dia e noite, de segunda a segunda, montando equipes, barreiras sanitárias e com uma equipe em educação em saúde. Tudo isso, além claro, da compra de insumos e EPIs, foi feito com recursos próprios e com recursos do Governo Federal. Todo o recurso aplicado até aqui foi feito de maneira mais transparente possível, inclusive, sob a orientação dos órgãos de fiscalização e controle. Criamos o portal da transparência, exclusivo para COVID-19, a fim de que o cidadão saiba de que forma estamos aplicando os recursos financeiros recebidos”, disse Ajucilene Gonçalves, Secretária Municipal de Saúde.

Em 2020, o município recebeu de repasses do Governo Federal, pouco mais de R$ 1,2 milhões destinados à contratação temporária de pessoal, aquisição de material de consumo, locação de tendas e para o funcionamento por três meses da Barreira Sanitária implantada no Bairro Pé da Terra, dentre outros gastos.


Testes rápidos e medicamentos:


Durante este período, a cidade de Mâncio Lima foi uma das poucas no Acre em que não faltou testes rápidos, mesmo quando os preços inflacionaram no mercado. Inicialmente, uma das estratégias foi a aquisição de 500 testes sorológicos com valores abaixo dos praticados, investimento, esse, de mais de R$ 50 mil, para que as pessoas não ficassem sem ser testadas. Além disso, foram adquiridos pouco mais de 9 mil testes rápidos, totalizando uma média de investimentos de mais de R$ 349 mil.