Comunidades ribeirinhas recebem 1ª fase do Torneio Regional de Futebol Amador de Mâncio Lima


Começou no último final de semana (4 e 5), a primeira fase do Torneio Regional de Futebol Amador de Mâncio Lima nas comunidades São Salvador, Rio Moa e Três Unidos e Rio Azul. O prefeito de Mâncio Lima, o Deputado Edvaldo Magalhães, o Vereador Mazinho, Secretário Eriton Maia, o Chefe do Departamento de Esportes, Rivelino Cavalcante e a equipe da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto (SEMC) e Secretária Municipal de Assistências Social, Rocilda Mendonça integraram a equipe que foi as comunidades.

“A equipe da licitação e da Secretaria de Educação (SEMEC) estão de parabéns pela ótima organização do evento. As equipes vieram, a comunidade veio prestigiar e, podemos observar o nível saudável de competitividade de cada equipe. Estou muito feliz, porque estamos conseguindo levar o esporte as comunidades mais longínquas de nosso município, estamos com muito cuidado voltando com lazer, o esporte e trazendo as pessoas para se confraternizarem”, falou Isaac Lima, Prefeito de Mâncio Lima.

A comunidade São Salvador, localizada no Rio Moa, recebeu desportistas vindos de várias outras comunidades em um dia de muita raça, competição e de lazer, após tanto tempo sem a comunidades se confraternizar.

“Hoje nós estamos iniciando o maior torneio de futebol amador de Mâncio Lima, fruto da emenda parlamentar da Deputada Perpetua Almeida, a Prefeitura dando total apoio e a nossa equipe da SEMEC à frente desse trabalho. Estaremos dialogando com mais de 1 mil atletas de mais de 60 times se enfrentando entre si nas várias etapas regionais. Não tenho dúvida que esse campeonato vai movimentar todo o Município de Mâncio Lima, o povo feliz e competindo com muita raça e alegria”, destacou Eriton Maia, Secretário Municipal de Educação, Cultura e Desporto.

Com seis equipes se enfrentando, foi o Juventus do São Salvador que levou a disputa para a final, enfrentando o Flamengo do Timbaúba. Com uma competição dura, sem chances de gols para ambas as equipes, a partida, de dois tempos de 20 minutos, foi levada aos pênaltis, dando uma vitória de 1x0 para o Juventus, que agora aguarda os vencedores das demais rodadas regionais (Rio azul e Pentecostes).


“Estou muito feliz com esta competição, porque o esporte aqui na nossa comunidade tira os jovens das drogas, da violência e de outros vícios, o esporte na floresta é muito melhor que uma festa, estamos agradecidos pelo prefeito nos enxergar e trazer para nós este torneio com premiação e com uniforme para as equipes”, disse Raimundo Nonato Conceição de Matos, atleta da comunidade São Salvador.

Na comunidade Três Unidos, localizada as margens do Rio Azul, a disputa e a participação dos times de futebol foram ainda maiores. Ali, 11 equipes, vindas desde a Comunidade Queimadas à comunidade Aquidabã, no Rio Moa se enfrentaram em uma disputa emocionante. Os atletas levaram a competição aos pênaltis, marcaram gols de placa e, uma a uma foram sendo eliminadas.

“Esse é um momento de muita satisfação e gratidão, há muito tempo nossos jovens, os desportistas estavam sem praticar um futebol de campo, estavam esperando esse momento, que finalmente chegou na nossa comunidade, as equipes competiram com respeito, sem violência e mostrando todo o potencial que tem no futebol de campo”, ressaltou Antônio Medeiros, professor e atleta da equipe do Bom Sossego.


As águas baixas do Rio Azul não impediram as equipes de participarem da fase regional do torneio de campo. O nível excelente de cada equipe deu um brilho todo especial à competição. O destaque vai para a equipe da Comunidade Queimadas, que percorreram de barco mais de cinco horas de viagem. A Queimadas é uma das últimas comunidades do Rio Azul já próximo da fronteira com o Peru.

“Nós somos a comunidade mais distante do Rio Azul e, mesmo com a distancia e o rio seco, nós fizemos questão de vir participar desta competição, não fomos classificados, mas o que vale é a participação e a ajuda com o uniforme e a bola que ganhamos, com esse material o nosso time fica mais motivado para participar de outras competições”, falou Andrerli Oliveira Silva, atleta da equipe da Queimadas.

Restou ao Bela Vista e os Três Unidos II fazerem a grande final. Com a torcida eufórica e motivando os jogadores, o tempo normal, dois tempos de 15 minutos, não teve gols. Os Três Unidos II, anfitrião da festa até tentou se consagrar campeão, mas, o troféu ficou mesmo com o Belo Vista, que venceu os donos da casa por 2x1 na disputa de pênaltis.

O torneio, é fruto de emenda parlamentar da Deputada Federal Perpetua Almeida, orçado em R$ 150 mil, contemplando mais 50 equipes masculinas de futebol de campo, o projeto será desenvolvido nas regionais rural ribeirinha, rural terrestre e zona urbana, com duração de três meses.

“O futebol, o esporte é o que mais mobiliza as comunidades, esta emenda da Deputada Perpetua atende praticamente todas as comunidades de Mâncio Lima, na área urbana e na área rural, são 66 equipes em um torneio que vai mobilizar desde a área, a zona rural terrestre e ribeirinha. É um estender de mãos àqueles que já fazem um trabalho extraordinário, os presidentes de times, os técnicos, os que organizam as competições e principalmente aos atletas que mostram um nível excelente em um torneio de futebol amador”, finalizou Edvaldo Magalhaes, Deputado Estadual.


Competição

O sistema de disputa será dividido em fases: A primeira fase da competição será disputada por regional, na qual, um campeão de cada regional irá se enfrentar na próxima fase.

A segunda fase, oitavas de final, será realizada em caráter eliminatório entre as quatro equipes mais bem colocadas, sendo as duas primeiras de cada grupo, sem direito a vantagens no placar da partida. Permanecendo o empate, haverá cobranças de pênaltis.

A final será decidida entre as duas equipes vencedoras da semifinal.

Já todos os participantes da competição recebem um uniforme completo (camisa, bermuda, meião e uma bola). A comunidade anfitriã do evento recebe um par de rede, um par de cartão (amarelo e vermelho) uma bola e um apito. Cada vencedor da regional recebe um kit de uniforme completo.

A equipe de arbitragem contou com a participação de Tarcísio Rocha, Marcelo Nascimento e Ariton Puyanawa, que se revezaram entre si.


Uma decisão da Funai – Fundação Nacional do Índio, não permitiu a realização da rodada na segunda regional do Rio Moa que aconteceria na Terra Indígena Nukini e reuniria os times das comunidades do entorno bem como não permitiram a participação dos índios. A mesma decisão, sem que houvesse um diálogo com a gestão e com a Secretaria de Educação, foi tomada para os indígenas das aldeias Puyanawa e Nawa. A organização do torneio está buscando uma alternativa para que as demais comunidades tenham a oportunidade de participar da competição.


Vale lembrar que os indígenas já foram 100% vacinados, com exceção dos menores de 18 anos, e, foram os primeiros a receberem o imunizante contra a Covid-19.



Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Beatriz Monte

Imagens: Evandro Ibernon

0 comentário