Ação conjunta dos órgãos ambientais orienta população ribeirinha quanto a preservação dos rios


A Semana Nacional do Meio Ambiente acontece na primeira semana de todo mês de junho, desde 1981, quando foi instaurada pelo Decreto nº 86.028. A data foi escolhida por conta do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de junho.


A data mundial foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU), mais especificamente pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), em 1974. Este ano o tema escolhido é: “Uma só Terra”.

Considerando o mês do Meio Ambiente, a SEMAPI – Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas, Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo – SEMATUR, Secretaria Municipal de Obras Saneamento e Urbanismo e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio realizam esta semana, na Alameda das Aguas em Mâncio Lima diversas atividades de educação ambiental cujo objetivo é alertar sobre o lançamento de lixo nos Rios Moa e Japiim.

Nesta ação, estão sendo abordadas todas as pessoas que trafegam pelos rios mencionados, partindo do referido porto. Trata-se de ribeirinhos, turistas, pesquisadores e funcionários públicos. A Secretaria de Obras está contribuindo com a coleta do lixo espalhado fora das caixas. Preservar o meio ambiente é cuidar do bem estar de todos.

Ainda esta semana, será levado a Área de Relevante Interesse Ecológico Japiim Pentecostes – ARIE, um grupo de pessoas para conhecer esta unidade de conservação de uso sustentável criada por meio do Decreto número 4.365 de 6 de julho de 2009.


ARIE Japiim Pentecoste

A ARIE Japiim-Pentecoste possui uma área de 25.751 hectares, localizada no município de Mâncio Lima. Tem por objetivos a preservação e a recuperação dos remanescentes da biota local; a proteção e a recuperação do Rio Japiim (Paraná Japiim); ordenar a ocupação das áreas de influência do Rio Japiim (Paraná Japiim); regular o uso admissível na ARIE, de modo a compatibilizá-lo com os objetivos de conservação da natureza; fomentar a educação ambiental, a pesquisa científica e a conservação dos valores ambientais, culturais e históricos; proteger os atributos naturais, a diversidade biológica e os recursos hídricos e o patrimônio arqueológico, assegurando o caráter sustentável da ação antrópica na região, com particular ênfase na melhoria das condições de sobrevivência e qualidade de vida das comunidades residentes e no entorno.

Estudos botânicos identificaram três espécies de orquídeas desconhecidas para a ciência na ARIE Japiim-Pentecoste. Também foram encontradas 41 espécies de peixes pertencentes a 33 gêneros e 17 famílias.


De acordo com o Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) a partir do estudo socioeconômico foi possível verificar a importância da área para a subsistência das famílias residentes no interior e ao entorno. A população local decidiu por transformar a região em unidade de conservação para que houvesse preservação sem a proibição da utilização dos recursos naturais.

O estudo identificou ainda baixa ocupação humana e possui potencial turístico e pesqueiro como atividades econômicas sustentáveis.


Galeria de Imagens:

Assessoria de Comunicação Social

Jenildo Cavalcante

Imagens: Evandro Ibernon/Arquivos SEMATUR/Drone: Robson Reis



0 comentário